sexta-feira, 29 de abril de 2011

MELHORIAS PARA O ENSINO BÁSICO

Desta vez os "especialistas" em educação são bem específicos - os políticos!

O quê...?! Você não sabia que todo o político é um "especialista" em educação?!!! Assista ao horário político, em tempos de campanha, e verá quantas baboseiras os candidatos dizem em nome da educação!


Professor da rede básica poderá ter direito à meia-entrada

 

"Acesso a bens culturais contribuirá para a formação dos professores.

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 263/11, do deputado Marçal Filho (PMDB-MS), que assegura aos professores e demais profissionais efetivos da educação básica o direito à meia-entrada para ingresso em cinemas, teatros, museus, circos, casas de shows e outros estabelecimentos que realizem espetáculos artísticos ou culturais".


Sendo aprovado, tal PL virará lei e trará, sem dúvida, alguns poucos benefícios ao professor. Mas, infelizmente, contrariando um pouco a notícia, a contribuição para a "formação" do professor não será, neste caso, tão significativa e existen razões para esta minha afirmação:

1 - um percentual significativo dos professores atua em áreas em que o cinema, o teatro e os museus (por exemplo) são escassos ou inexistentes, logo, a contribuição para a formação do docente é mínima, quando não nula. 

2 - Curiosidade, daquelas que nos deixam perplexos, é a não inclusão do benefício da internet e do custo dos livros, revistas e jornais na política da meia tarifa. Aí a questão seria toda uma outra! Mas como eu costumo dizer: "vamos tampar o sol com a peneira larga", isto é, vamos fingir que estamos dando regalias aos professores, que bem ligeiro eles se calam... é como dar pirulito a criança!

3 - Cuidado com a amplitude dos termos "espetáculos" e "culturais"... bem, eu avisei!

Ôpa!... tem político trabalhando pela educação? Tem! Faz o que pode... ou o que "deve fazer"? Quanto à resposta, é recomendado que cada um encontre a sua!

Eu faço o meu papel de analisar e criticar... Ou no Brasil já não podemos mais manifestar nossa opinião?

sexta-feira, 22 de abril de 2011

ENSINO SUPERIOR

Eu não precisava escutar esta notícia, pois, apesar dela estar dentro dos parâmetros educacionais oferecidos à população (um ensino superior de qualidade altamente duvidosa, todo mundo sabe disso!), a questão da quantidade não foi suficiente para suprir, minimamente a defasagemem relação ao qualitativo, considerando que, a meu entender, que num espaço muito curto de tempo, o Brasil deixou de ser o país dos analfabetos para se transformar no país dos doutores. Em cada esquina uma "faculdade", em cada faculdade um "negócio", em cada negócio um "diploma".

Depois que em 1990 deixamos de cumprir com o mínimo que nos foi solicitado  para a famosa reunião de Jontien (Tailândia), (não importam aqui os meios e sim os fins), que o Brasil vem a reboque de políticas financistas (entenda-se por isto aquelas políticas que visam, simplesmente ao engodo dos financiadores, mostrando-lhes falsos números de elevação de educação do povo brasileiro para em troca receber uns trocados - que o trocadilho me seja permitido -, a nossa educação vem sofrendo de um mal crônico: "suficientometria". O quê... você não sabe o que é isso? Pois oriente-se! SUFICIENTOMETRIA é a "ciência" que estuda a quantidade mínima necessária de: investimento; de qualificação; de quantidade; de qualidade; de capicidade; de competência; de conhecimentos que o educador (a quem eles teimam em chamar simplesmente de professor) tem que ter para poder desenvolver junto à população um trabalho que não tenha outo objetivo que não seja enriquecer mais ainda os já gordos ricos. Você já reparou nessa esquina aí ao seu lado? Essa, exatamente aí onde você se encontra, olhe e veja que tem uma "faculdade"! Eu proponho a seguinte mudança: vamos deixar de chamar a esses estabelecimentos de faculdades e passemos a chamar-lhes de "facilidade". É tão fácil passar na seleção! É tão fácil passar de semestre! É tão fácil ser aprovado ao final do tempo previsto! É tanta facilidade (DESDE QUE VOCÊ PAGUE O PREÇO) que o nome deveria ser FACILIDADE.

Mas não se espantem com esta minha opinião: hoje, mais que nunca, a vida foi facilitada: temos a EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA! 

Sapristi!!! Eu vejo a dificuldade que um aluno tem de acompanhar um curso presencial onde, além do mais, há a exigência da presença e o cumprimento de um aprendizado minímo. Questiono-me: e o aluno que sabe que não tem "fisicamente" ninguém para vigiá-lo; nada que o proíba de deixar para a última hora o trabalho que tem que fazer fora do alcance do olhar de um PROFESSOR PRESENTE E ATUANTE; que pode, em último recurso, pedir para o colega resolver sua tarefa, mesmo que isso tenha um valor monetário significativo?  Vamos ter mais DOUTORES com diplomas de analfabetos, do que analfabetos com diploma de de ABC.

Onde iremos parar? Que educação é essa que nos querem dar? Que educação é essa que aceitamos alienadamente? A quem estaremos servindo após a "formatura"? Em que condições estaremos para dar nossa contribuição no desenvolvimento do país? Queremos ter muitos DOUTORES que nada produzem, ou pretendemos criar áreas capazes de desenvolver uma ciência que alavanque o progresso, paulatinamente? Seremos capazes de produzir Einsteins em série, ou pretendemos desenvolver a nossa capacidade racional de produção científica?

Gente....são tantas questões que me levam a dizer: o "milagre de crescer 50 anos em 5" foi um breve sonho pago a preço alto!

Vejamos a notícia:

Para concorrer em pé de igualdade com as potências mundiais, o Brasil terá que fazer um grande esforço para aumentar o percentual da população com formação acadêmica superior. Levantamento feito pelo especialista em análise de dados educacionais Ernesto Faria, a partir de relatório da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico), coloca o Brasil no último lugar em um grupo de 36 países ao avaliar o percentual de graduados na população de 25 a 64 anos.

Os números se referem a 2008 e indicam que apenas 11% dos brasileiros nessa faixa etária têm diploma universitário. Entre os países da OCDE, a média (28%) é mais do que o dobro da brasileira. O Chile, por exemplo, tem 24%, e a Rússia, 54%. O secretário de Ensino Superior do MEC (Ministério da Educação), Luiz Cláudio Costa, disse que já houve uma evolução dessa taxa desde 2008 e destacou que o número anual de formandos triplicou no país na ultima década.

“Como saímos de um patamar muito baixo, a nossa evolução, apesar de ser significativa, ainda está distante da meta que um país como o nosso precisa ter”, avalia. Para Costa, esse cenário é fruto de um gargalo que existe entre os ensinos médio e o superior. A inclusão dos jovens na escola cresceu, mas não foi acompanhada pelo aumento de vagas nas universidades, especialmente as públicas. “ Isso [acabar com o gargalo] se faz com ampliação de vagas e nós começamos a acabar com esse funil que existia”, afirmou ele.


Pela notícia, vamos privilegiar a quantidade em detrimento da qualidade: Será esse o caminho mais curto?
 

quinta-feira, 21 de abril de 2011

DESAPARECIDO - UP UP UP UP - DESAPARECIDO

Talvez possamos ajudar. Eu faço a minha parte! 
Mas aviso: não verifiquei os telefones!
URGENTE

Procuro desesperadamente meu filho de 3 anos desaparecido desde 21/06/2010.
AJUDEM POR FAVOR, A DIVULGAR A FOTO DELE NA NET...
Peço ajudas a todos, que, por favor, divulguem esta foto dele na net.
Pois ele sumiu da cidade de São Carlos, interior de São Paulo.
Ele nasceu no Rio de Janeiro. Vindo com ele para minha terra natal, onde eu jamais poderia imaginar que eu passaria por este pesadelo.
A polícia não tem nenhuma informação concreta sobre seu paradeiro e está sendo um mistério a forma como este anjinho sumiu.
Peço encarecidamente que orem a Deus por ele.
Desde já grata a todos.

(11)8687-5361  (11)8687-5361  
Laércio Garcia

quarta-feira, 20 de abril de 2011

PIAUÍ

Quero solidarizar-me com os meus irmãos nordestinos, mais especificamente os piauienses, e aproveitar para mostrar aos estrangeiros que me lêem que por aqui temos boas coisas.

O texto e as fotos foram recebidas por e-mail. Não tenho maiores informações sobre a(s) autoria(s). Os créditos, tão logo tenha informações concretas, serão dados.

Quando falarem que o Piauí fica onde o vento faz a curva, diga que por isso nós temos as melhores condições para a prática de esportes à vela e para a geração de energia eólica do Brasil em nosso belo litoral.



Quando falarem que o Piauí é quente, diga que aqui o sol brilha mais, somos filhos do sol do equador, por isso temos luminosidade e calor ideais para a produção da rica fruticultura tropical.
Quando falarem que o Piauí é seco, diga que nós fomos abençoados com uma das maiores reservas de águas subterrâneas do mundo; que temos o maior rio genuinamente nordestino _ o Rio Parnaíba, além de inúmeras barragens e lagoas que podem receber projetos de irrigação, piscicultura e lazer.
Quando falarem que no Piauí não tem petróleo, diga que nós já estamos na era da energia renovável, que fomos pioneiros no biodiesel a partir da plantação de mamona e temos potencial para ser um dos maiores produtores de combustíveis verdes do país.

Quando falarem que o litoral do Piauí é o menor do Brasil, diga que nós temos o único delta em mar aberto das Américas e praias paradisíacas, com águas quentes e sem poluição.

Quando falarem que o piauiense é um povo primitivo, encha o peito de orgulho e diga que nós somos o berço do homem americano cujas origens repousam nos sítios arqueológico da Serra da Capivara em São Raimundo Nonato.
Quando falarem que a economia piauiense é pobre, diga que apesar da baixa renda per capita, nós somos tão ricos em oportunidades que o nosso crescimento está acima da média nacional.

Quando falarem que o Piauí tem problemas de saúde, diga que todos tem, mas a nossa medicina é referência para o norte-nordeste pela qualidade dos nossos médicos, pelo fácil acesso ao nosso pólo de saúde e que por isso brasileiros de diversas regiões do país vêm se tratar em nossa terra. E que aqui o tratamento começa com a nossa maneira de acolher e receber bem as pessoas.

Quando falarem que o povo do Piauí não tem conhecimento, diga que nós temos a melhor escola de ensino médio do Brasil _ o Instituto Dom Barreto e uma bem estruturada rede de ensino público e privado, onde inclusive, pode-se aprender melhor sobre o nosso estado, o Brasil e o mundo e, nem por isso são cobradas as mensalidades mais caras do país.

Quando falarem que o Piauí é improdutivo, diga que nós somos recordista nacional em produtividade de grãos; maior produtor brasileiro de cera de carnaúba, matéria-prima de larga aplicação industrial no mundo moderno; maior produtor nacional de mel de abelha (com a vantagem de que o nosso mel é de floração natural); que temos um dos maiores e melhores rebanhos caprinos do Brasil e tantas outras coisas que só conhecendo...

Aproveito para reforçar o convite para conhecer o nosso Estado, em especial a quente, bela e hospitaleira Teresina, capital da boa gente piauiense, também conhecida por ser  a capital do nordeste onde tem as mais belas mulheres, e proporcionalmente, a capital mais tranquila do Brasil.
Pedras de Opala de Pedro II

Grande Canion do Rio Poty







                                                                                                        Rico artesanato piauiense

segunda-feira, 18 de abril de 2011

ELEGÂNCIA

Vamos começar a semana em grande estilo. O meu desejo para que todos  sejam  elegantes para com vocês! E para todos nós uma reflexão:

ELEGÂNCIA

Elegância é um dom que vai além do uso correto dos talheres; abrange bem mais do que dizer um simples obrigado diante de uma gentileza...  ela deve nos acompanhar desde a primeira hora da manhã até a hora de ir dormir!

É possível detectá-la nas pessoas que elogiam mais do que criticam; nas pessoas que escutam mais do que falam.

É possível detectá-la nas pessoas que não usam um tom superior de voz ao se dirigirem ao frentista que lhe abastece o carro, por exemplo; nas pessoas que evitam assuntos constrangedores porque não sentem prazer em humilhar os outros.

A elegância é possível detectá-la em pessoas pontuais.

Elegante é quem demonstra interesse por assuntos que desconhece; quem presenteia fora das datas festivas.

Elegante é quem cumpre sempre o que promete.

Oferecer flores é sempre elegante.

É elegante você fazer algo para alguém e este alguém não saber o quanto você teve que se arrebentar para fazê-lo... porém, é elegante reconhecer o esforço, a amizade e as qualidades do outro.

É elegante não mudar de estilo apenas para se adaptar ao outro; retribuir carinho e solidariedade.

É elegante o silêncio diante de uma rejeição. Sorrir, sempre é elegante e faz um bem danado para a alma.

Olhar nos olhos, ao conversar é essencialmente elegante.

A educação enferruja por falta de uso. E, detalhe importante: não é frescura!

Não tenha medo de ser elegante!


(Autor desconhecido)

quarta-feira, 13 de abril de 2011

O BRASIL VAI SUBIR NOS RANKINGS INTERNACIONAIS

 Vou plantar um pé de Querover!

O MEC (Ministério da Educação) prepara um plano para aumentar a quantidade de publicação de brasileiros em meios científicos, informa reportagem de Patrícia Gomes publicada na edição da Folha íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL (desta terça-feira).
O objetivo é que as universidades brasileiras apareçam mais e melhor em rankings internacionais de qualidade. O projeto deve começar com uma injeção de recursos específicos para pesquisa nas universidades federais mais reconhecidas, com os cursos mais tradicionais de graduação e pós. 

Fonte: Folha

Preocupante! Vai "aumentar a quantidade"... bem, ok, mas e a qualidade vai acompanhar o ritmo?

Continuo querendo saber!

terça-feira, 12 de abril de 2011

SÓ QUERIA SABER...

Por que tudo que é projetado para a educação, no Brasil, o é para, no mínimo, o médio prazo?

Será que não há quem veja urgência na educação do povo?

Para que investir nas Universidades se a Educação Infantil vive num quase abandono?

Para que informar que atingimos 98% de crianças na escola, se dessas, mais de 60% são analfabetas?

Para que aprovar um piso salarial do professor, se poucos são aqueles que o recebem?

De que adianta criar cursos de especialização/mestrado e doutorado para os professores se o que lhes falta é a formação inicial?

A que serve a progressão continuada se os alunos não sabem ler nem escrever?

A quem está servindo uma tal educação?

E o que fazer quem não está de acordo com essas políticas do faz de conta que aprendes enquanto alguém (eu, por exemplo) faz de conta que ensina?

Os professores falam da má qualidade da educação: por que não a fazem melhor?

Todo político afirma que "se eleito for..." vai melhorar a educação... Com tanta política interessada por que a nossa educação não sai do canto?

Onde vão parar os BILHÕE$ destinados à educação, já que as escolas vivem morrendo à míngua?

Se todos conhecem uma fórmula para salvar a educação, por que ela tende à queda acentuada?

Se é "tão difícil" alfabetizar uma criança, por que os professores da alfabetização são os piores preparados?
Quem prepara o professor tem qualidades para ser um deles, ou é apenas um portador de títulos?

Desculpa gente... eu só queria saber!

Pensando...

Pensando no todo e no nada me surge esta frase:
"Vamos à luta: nem a derrota, nem a vitória estão garantidas - a nossa força pode fazer a diferença"!

Você já parou para pensar nisso?

segunda-feira, 11 de abril de 2011

QUANTO CUSTA UM RICO?

Uma pergunta, básica, simples, direta:

"E eu pergunto aos economistas políticos, aos moralistas, se já calcularam o número de indivíduos que é forçoso condenar a miséria, ao trabalho desproporcionado, à desmoralização, à infâmia, à ignorância crapulosa, à desgraça invencível, à penúria absoluta, para produzir um rico?"
Almeida Garrett - escritor português

Alguem se habilita a responder?!

sexta-feira, 8 de abril de 2011

MAIS REALENGO.

 A situação parece estar piorando! Novo incidente social envolvendo uma escola!

 

Assaltantes invadem escola na zona oeste e acabam presos

8/4/2011 12:39,  Redação, com ABr - do Rio de Janeiro

Uma professora passou mal e teve  que ser encaminhada ao hospital.

Dois assaltantes que estavam desarmados invadiram na manhã desta sexta-feira a Escola Municipal Astrogildo Pereira,em Bangu, na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Os homens estavam fugindo da polícia, depois de roubarem uma senhora na rua, e entraram no local para se esconder. Os dois foram presos no pátio da escola.

Continue lendo: http://correiodobrasil.com.br/assaltantes-invadem-escola-na-zona-oeste-e-acabam-presos/227729/ 

quinta-feira, 7 de abril de 2011

DESCULPAS

Quero pedir desculpas a todas e a todos pela forma menos correta (linguisticamente falando) com que escrevi o post anterior.  

A pressa (inimiga da perfeição!), a revolta pelo caso absurdo que relatava e olhar meio turvo pela emoção fizeram com que o texto saísse repleto de erros (desde aquele que se percebe a falta de atenção ao digitar - falta de letras, letras trocadas etc., até àqueles mais cabeludos que só mesmo o descuido pode permitir que passem.

Naquele texto eu digo: "Sou adepto do que 'É corrigindo-me que posso corrigir os outros'". A quem me corrigiu, os meus agradecimentos... a quem não ligou e entendeu a situação um reconhecimento... a quem, por ventura me tenha criticado, acreditem que as críticas, quando merecidas e bem colocadas, recebo-as com maior orgulho que a  alguns prêmios que são dados por aí!

Prometo fazer mais atenção daqui para a frente

EDUCAÇÃO, SOCIEDADE OU BARBARIE?

Tomei conhecimento neste instante de mais uma barbaridade que acontece no interior de uma escola carioca, resultado do primeiro balanço: 12 mortos e umas duas dezenas de feridos!

 Durkheim já dizia que aquele que não se enquadrasse na sociedade precisaria ser dela extirpado, pois foi exatamente isso que aparentemente aconteceu: um desiquilibrado mental (talvez com um desequilíbrio provocado) adentrou uma escola e foi atirando, a esmo, causando toda essa tragédia! Fica-me a questão: por que sempre tem que envolver jovens em idade escolar, ou, quando muito, pessoas completamente despreparadas e inofensivas?

Até que ponto, a educação, aqui vista como processo responsável pela socialização das pessoas, pode ser responsabilizada pelo acontecimento de fatos desta natureza? Qual a responsabilidade do Estado? Quanto dessa responsabilidade não recai sobre a própria sociedade, uma sociedade consumista, alienada, individualista, hipócrita, desarticulada com os preceitos mais elementares de sociabilidade onde o TER é mais importante que o SER?

A liberdade que se torna  liberalismo para alguns,  libertinagem para outros e ainda completo alheamento dos princípios básicos da sociedade para terceiros (imaginando que pela impunidade tudo é permitido e nada é criminalizado) só sem trazido gravíssimas consequências para a harmonia social que buscamos em vão.

É muito bonito falar... é muito legal criticar, mas o que NÓS estamos fazendo para tentar corrigir, minimamente e dentro do nosso raio de alcance, essas distorções? 

Sou adepto do que "É corrigindo-me que posso corrigir os outros". Mas o individualismo... será que ele fala mais alto em prol de interesses pessoais?

Pena faz, também, o sensacionalismo que as TVs estão fazendo com a dor alheia! Vamos ter para mais de semana!

quarta-feira, 6 de abril de 2011

VOTAR OU NÃO VOTAR... É UMA ELEIÇÃO?

Você tem quatro dias para votar na enquete aí à sua direita! Já cumpriu seu "dever de blogueir@", votando?!

Caso você não registre seu voto em tempo hábil, democraticamente lhe aplicarei um multa por desrespeito a uma lei maior que só interessa a alguns... jamais ao povão!

Qualquer semelhança com a democracia no Brasil (onde o voto é obrigatório) é mera coincidência - ou nem tanto!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

???

Uma pergunta que, sinceramente, me incomoda bastante:

O professor, (entenda-se funcionário público em geral) desde que vinculado a um órgão estatal (estadual ou federal, não sei se o mesmo acontece com os municipais) não pode ter outra fonte de renda, por ex.,: ter um comércio, uma indústria etc. registrado em seu nome. Até aí, apenas alguma incompreensão (compreendo ligeiro quando me explicam lonnnngamennnnnte),  mas onde vai surgir a pergunta é aqui: E por que é que boa parte dos nossos parlamentares (273) são altos empresários?

Onde está a lógia ou será que é "para lementares"? Dois pesos e trocentas medidas???

domingo, 3 de abril de 2011

TRAGÉDIAS

Acredito não haver necessidade de relembrar o horror que deve ser um Tsunami. Cada um de nós, mesmo jamais tendo vivenciado algum deles, deve ter presente a aflição que as pessoas passam com a aproximação da onda gigante, devastadora, que tudo destrói na sua passagem.

Mas... e se essa "onda gigante" em vez de ser de água, como infelizmente sabemos, for de terra? Se toda uma montanha começar a movimentar-se e a destruir tudo na sua passagem? Há uma curiosidade que eu mesmo não sei explicar: sequer estava chovendo!

Nós temos a experiência dos deslizamentos provocados pela ação das águas... mas essa aí... não dá, sinceramente, para entender, principalmente para um leigo como eu em questões de geologia e outras "gias" que estudam o comportamento dos terrenos.

Vejam só o que acontece na Itália no início do ano:
http://www.youtube.com/watch?v=WWonlonGMfY&feature=player_embedded#at=12 


Incrível, não é verdade?!

sábado, 2 de abril de 2011

ESPERA EU BOTAR MEU NARIZ DE PALHAÇO!

Queiramos ou não... os palhaços somos nós!

O deputado federal Tiririca (PR-SP) é humorista, mas aparentemente os palhaços são os contribuintes. Além de contratar dois humoristas como assessores parlamentares com salários de R$ 8 mil, o deputado mais votado do Brasil (1,3 milhão de votos) aprontou mais uma. Segundo o Estadão, Tiririca pediu reembolso à Câmara por despesas de R$ 971 após passar alguns dias no Porto d’ Aldeia Resort, “hotel que fica em meio a dunas, com piscina e vista para o mar” em Fortaleza.

Como lembra o Estadão, o parlamentar só pode pedir reembolso de atividades vinculadas à atividade parlamentar. A imprensa cearense, entretanto, afirma que, entre 19 e 21 de março, Tiririca esteve em Fortaleza “para visitar parentes”. A assessoria do deputado não explicou qual foi a atividade que Tiririca, eleito por São Paulo, foi realizar no Ceará:A reportagem procurou a assessoria do deputado para saber a atividade ligada ao mandato que o levou a pedir à Câmara o reembolso dessa despesa em Fortaleza. A assessoria do parlamentar, no entanto, recusou-se a responder. Para justificar o uso do dinheiro público que custeou hospedagem e alimentação em seu Estado natal, ele precisaria ter desempenhado uma atividade política nos dias em que ficou no local. A assessoria de Tiririca apenas disse que “a conduta do parlamentar está dentro dos limites previstos às prerrogativas do mandato parlamentar. Portanto, ele não se afastou das normas legais ou das regras estipuladas”.
 
 

sexta-feira, 1 de abril de 2011

MAIS EDUCAÇÃO É GARANTIA DE FUTURO MELHOR?

Qualificação profissional e educação não garantem o futuro 

Paul Krugman 

Milhares de chineses desempregados visitam uma feira de emprego na cidade de Shenyang, nordeste da China. Concorrência para os trabalhadores qualificados nos Estados Unidos. 


Todo mundo sabe que a educação é um fator fundamental para o sucesso econômico. E todos sabem que os empregos do futuro exigirão níveis de qualificação cada vez mais elevados. Foi por isso que, ao dar uma declaração quando estava acompanhado do ex-governador da Flórida Jeb Bush, na última sexta-feira, o presidente Barack Obama afirmou: “Se nós desejarmos mais boas notícias sobre empregos, precisaremos investir mais em educação”. Mas há um erro em relação a esta verdade conhecida por todos. 


No dia seguinte ao evento do qual Barack Obama e Jeb Bush participaram, o “The Times” publicou um artigo sobre o uso crescente de softwares para a realização de pesquisas na área de direito. Os computadores são capazes de analisar rapidamente milhões de documentos, realizando de maneira barata uma tarefa que antigamente exigia um batalhão de advogados e especialistas em direito. Neste caso, então, o progresso tecnológico está na verdade reduzindo a demanda por trabalhadores com alto nível educacional. E as pesquisas na área de direito não se constituem em um exemplo isolado. 


Conforme o artigo observa, os programas de computador estão também substituindo engenheiros em certas atividades, como o design de chips. Falando de forma mais abrangente, a ideia de que a tecnologia moderna elimina apenas os empregos para trabalhadores não qualificados, e de que os profissionais de alta qualificação são os nítidos vencedores, pode prevalecer nas discussões populares, mas a verdade é que tal ideia está superada há décadas. 


O fato é que desde mais ou menos 1990 o mercado de trabalho dos Estados Unidos caracteriza-se não por um aumento generalizado da demanda por qualificações, mas sim por esvaziamento de uma “zona intermediária”: o número de empregos de alta e de baixa remuneração têm crescido rapidamente, mas o daqueles de remuneração média – ou seja, aquele tipo de trabalho que sustenta uma classe média robusta – tem ficado para trás. E esse buraco no campo intermediário do mercado de trabalho tem aumentado continuamente: muitas das ocupações de alta remuneração que cresceram rapidamente na década de noventa têm crescido muito mais lentamente nos últimos tempos, ainda que o índice de empregos de baixa remuneração tenha se acelerado. Por que isso está acontecendo? 


A crença de que a educação está se tornando cada vez mais importante se baseia na ideia aparentemente plausível de que os avanços tecnológicos resultam em um aumento das oportunidades de emprego para aqueles indivíduos que trabalham com informação – ou, em outras palavras, na ideia de que os computadores ajudam aqueles que trabalham com o cérebro, prejudicando ao mesmo tempo as pessoas que fazem trabalhos manuais. 


Alguns anos atrás, porém, os economistas David Autor, Frank Levy e Richard Murnane argumentaram que esta era a forma errada de pensar a respeito dessa questão. Eles observaram que os computadores são excelentes para as tarefa que envolvem rotina, “tarefas cognitivas e manuais que são realizadas mediante o seguimento de regras explícitas”. Portanto, qualquer tarefa rotineira – uma categoria que inclui muitos empregos qualificados, não manuais – encontra-se na linha de fogo. 


Por outro lado, os trabalhos cuja execução não se dá mediante o seguimento de regras explícitas – uma categoria que inclui vários tipos de trabalho manual, de motoristas de caminhão a zeladores de edifícios – tenderão a crescer mesmo com o progresso tecnológico. A questão fundamental é que a maioria do trabalho manual que ainda está sendo realizado na nossa economia parece ser de um tipo que é difícil de automatizar. 


Notavelmente, com os operários respondendo por cerca de 6% do emprego nos Estados Unidos, não restaram muitos empregos nas fábricas para serem perdidos. Enquanto isso, muitos trabalhos qualificados que são atualmente realizados por profissionais de alto nível educacional e que geram um pagamento relativamente elevado poderão ser em breve computadorizados. O aspirador de pó robotizado Roomba pode ser engraçadinho, mas falta muito ainda para que tenhamos robôs atuando como zeladores de prédios. Mas a pesquisa computadorizada na área de direito e os diagnósticos médicos auxiliados por computadores já fazem parte da realidade atual. 


Além disso, há a globalização. Antigamente, só os trabalhadores de fábricas precisavam se preocupar com a concorrência do exterior, mas a combinação de computadores e telecomunicações tornou possível o fornecimento de diversos serviços à distância. E as pesquisas dos meus colegas da Universidade de Princeton, Alan Blinder e Alan Krueger, sugerem que os trabalhos de alta remuneração feitos por profissionais de elevado nível educacional são mais fáceis de serem transferidos para o exterior do que aqueles desempenhados por trabalhadores de remuneração e nível educacional mais baixos. 


Caso eles estejam certos, a tendência crescente de internacionalização dos serviços esvaziará ainda mais o mercado de trabalho dos Estados Unidos. Então, o que tudo isso nos diz a respeito de políticas públicas? Sim, nós precisamos consertar o sistema educacional dos Estados Unidos. Em especial, as desigualdades que os norte-americanos enfrentam logo no início – crianças brilhantes oriundas de famílias pobres têm uma probabilidade menor de concluírem um curso superior do que as crianças bem menos capazes, mas que são filhas de indivíduos ricos – não se constituem apenas em um escândalo; elas representam também um enorme desperdício do potencial humano do país. 


Mas existem certas coisas que a educação não é capaz de fazer. Em especial, a ideia de que fazendo com que mais jovens cursem a universidade nós seremos capazes de restaurar aquela sociedade de classe média com a qual estávamos acostumados é inteiramente falsa. Ter um diploma superior não representa mais garantia de um bom emprego, e isso está se tornando cada vez mais verdadeiro a cada década que passa. Portanto, se quisermos uma sociedade na qual a prosperidade seja amplamente compartilhada, a educação não é a resposta – nós teremos que procurar construir tal sociedade diretamente. 


Precisamos restaurar o poder de negociação que o trabalho perdeu nos últimos 30 anos, de forma que tanto os trabalhadores comuns quanto os super astros contem com a capacidade de negociar por melhores salários. Nós temos que garantir as coisas essenciais, em especial o acesso aos serviços de saúde, a todos os cidadãos. O que não conseguiremos fazer é atingir esse objetivo apenas dando diplomas universitários aos trabalhadores. Esses diplomas poderão representar cada vez mais a entrada em empregos que não existem ou que não pagam salários de classe média. 


Paul Krugman. Professor de Princeton e colunista do New York Times desde 1999, Krugman venceu o prêmio Nobel de economia em 2008.



45 CONSELHOS PARA "CHEGAR LÁ"!

1. A vida não é justa, mas ainda é boa. 


2. Quando estiver em dúvida, dê somente o próximo passo, pequeno . 

3. A vida é muito curta para desperdiçá-la odiando alguém. 

4. Seu trabalho não cuidará de você quando você ficar doente. Seus amigos e familiares cuidarão. Permaneça em contato. 

5. Pague mensalmente seus cartões de crédito. 

6. Você não tem que ganhar todas as vezes. Concorde em discordar. 

7. Chore com alguém. Cura melhor do que chorar sozinho. 

8. Ame.

9. Economize para a aposentadoria começando com seu primeiro salário.

10. Quanto a chocolate, é inútil resistir.

11. Faça as pazes com seu passado, assim ele não atrapalha o presente. 

12. É bom deixar suas crianças verem que você chora. 

13. Não compare sua vida com a dos outros. Você não tem idéia do que é a jornada deles. 

14. Se um relacionamento tiver que ser um segredo, você não deveria entrar nele. 

15. Tudo pode mudar num piscar de olhos Mas não se preocupe; Deus nunca pisca. 

16. Respire fundo. Isso acalma a mente.

17. Livre-se de qualquer coisa que não seja útil, bonito ou alegre. 

18. Qualquer coisa que não o matar o tornará realmente mais forte. 

19. Nunca é muito tarde para ter uma infância feliz. Mas a segunda vez é por sua conta e ninguém mais. 

20. Quando se trata do que você ama na vida, não aceite um não como resposta. 

21. Acenda as velas, use os lençóis bonitos, use roupa chic.  Não guarde isto para uma ocasião especial. Hoje é especial. 

22. Prepare-se mais do que o necessário, depois siga com o fluxo. 

23. Seja excêntrico agora. Não espere pela velhice para vestir  roxo. 

24. O órgão sexual mais importante é o cérebro. 

25. Ninguém mais é responsável pela sua felicidade, somente você.. 

26. Enquadre todos os assim chamados "desastres" com estas palavras 'Em cinco anos, isto importará?' 

27. Sempre escolha a vida. 

28. Perdoe tudo de todo mundo. 

29. O que outras pessoas pensam de você não é da sua conta. 

30. O tempo cura quase tudo. Dê tempo ao tempo.. 

31. Não importa quão boa ou ruim é uma situação, ela mudará. 

32. Não se leve muito a sério. Ninguém faz isso. 

33. Acredite em milagres. 

34. Deus ama você porque ele é Deus, não por causa de qualquer coisa que você fez ou não fez. 

35. Não faça auditoria na vida. Destaque-se e aproveite-a ao máximo agora. 

36. Envelhecer ganha da alternativa - morrer jovem. 

37. Suas crianças têm apenas uma infância. 

38. Tudo que verdadeiramente importa no final é que você amou. 

39. Saia de casa todos os dias. Os milagres estão esperando em todos os lugares. 

40. Se todos nós colocássemos nossos problemas em uma pilha e víssemos todos os outros como eles são, nós pegaríamos  nossos mesmos problemas de volta. 

41. A inveja é uma perda de tempo. Você já tem tudo o que precisa. 

42. O melhor ainda está por vir. 

43. Não importa como você se sente, levante-se, vista-se bem e apareça. 

44. Produza! 

45. A vida não está amarrada com um laço, mas ainda é um presente.”



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...