sexta-feira, 8 de julho de 2011

ESTAMOS PERDENDO A BATALHA... NÃO A GUERRA!

Já em outro local fazia uma advertência para o panorama que se desenhava no horizonte educacional que estava sendo discutido no Senado Nacional. A data da votação chegou, a questão foi aprovada e hoje temos que tomar uma posição que se faz necessárria, uma posição de LUTA contra a precarização do ensino superior. 

Vejam a notícia abaixo, assumam vosso lugar nessa "briga" ou o nosso "ganha pão" pode estar ameaçado. Esse é o capitalismo que nos corrói as entranhas e que é tão bem gerenciado no Brasil por políticos do calibre do Sen. Álvaro Dias e toda a reca do PSDB/DEMoníacos entre outros camuflados.

Site colhe assinaturas contra projeto que empobrece formação de professores universitários


Projeto de lei aprovado na Comissão de Educação do Senado permite a contratação de professores sem pós-graduação para dar aulas em faculdades


Por: Cida de Oliveira, Rede Brasil Atual

Publicado em 08/07/2011, 19:20
Última atualização às 19:40


São Paulo – Está na internet um abaixo-assinado contra o Projeto de Lei do Senado 220/2010, que dispensa a necessidade de pós-graduação na formação de docentes para o ensino superior. Para aderir à causa, basta acessar o site a petição on line. O manifesto pretende pressionar o Congresso a rejeitar o PLS.

Sem fazer alarde, a Comissão de Educação do Senado aprovou, no começo de junho, o substitutivo, apresentado em agosto de 2010 pela Comissão de Infraestrutura do Senado, que permitia a contratação de graduados com “relevante experiência profissional” em cursos nas áreas tecnológicas e de infraestrutura.

O texto altera o artigo 66 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), que determina que a preparação para o exercício do magistério superior deverá ser feita em nível de pós-graduação, prioritariamente em programas de mestrado e doutorado. Se o projeto for aprovado, passará a ser legal a contratação temporária de professores apenas graduados ou especialistas em instituições de ensino superior (IES) pública ou privada.

Segundo nota da Federação dos Professores do Estado de São Paulo, o PL 220 representa um retrocesso em todos os aspectos e merece ser rejeitado nas demais etapas de tramitação. Para a entidade, “os empresários do ensino privado, que nunca dormem no ponto, viram na proposta uma grande oportunidade para flexibilizar as regras de contratação em todos os cursos da rede privada. Para tanto, tiveram o apoio do senador Álvaro Dias (PSDB/PR), relator da proposta na Comissão de Educação. Generoso, o parlamentar manteve a possibilidade de contratar graduados, suprimiu a “relevante experiência profissional” e ainda estendeu a flexibilização para todos os cursos.

3 comentários:

  1. Nobre mestre!

    A precarização do Ensino Superior já está em processo há muito tempo. Os políticos apenas a legitimaram.

    E ela (a precarização) não ocorre por falta de pós-graduados, doutores e pós-doutores na Educação Superior. Já o comentei em algum de seus blogs que a Educação Superior tem o maior número e o mais bem formado grupo de (D)outores no Brasil. Porém, é (paradoxalmente) a dimensão que menos avança e mais problemas tem com a qualidade formativa.

    Por quê? Simples. Doutores em universidades, em sua grande maioria, ganham muito bem sem fazer muito bem. Em qualquer empresa do mundo, um doutor contratado que não faz o serviço que deve(ria) fazer é expulso. Na Educação Superior, no Brasil, não.

    E, aposto todas as fichas, com conhecimento de causa, que têm muitos doutores em universidades, que eu e você conhecemos, que deveriam ser substituídos por um simples graduando. Este, o graduando, faria melhor – muito melhor – do que aquele. Não porque o (D)outor não sabe fazer. Mas, porque não quer fazer. O salário, a estabilidade e a falta de cobrança do que é feito, acomoda a maioria. Os alunos são um estorvo necessário para o salário que lhes fornece a tão reconhecida estabilidade social.

    Alguns problemas educacionais têm soluções simples. E este é um.

    A gente volta.

    Bom final de semana.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Nobre mestre!

    A precarização do Ensino Superior já está em processo há muito tempo. Os políticos apenas a legitimaram.

    E ela (a precarização) não ocorre por falta de pós-graduados, doutores e pós-doutores na Educação Superior. Já o comentei em algum de seus blogs que a Educação Superior tem o maior número e o mais bem formado grupo de (D)outores no Brasil. Porém, é (paradoxalmente) a dimensão que menos avança e mais problemas tem com a qualidade formativa.

    Por quê? Simples. Doutores em universidades, em sua grande maioria, ganham muito bem sem fazer muito bem. Em qualquer empresa do mundo, um doutor contratado que não faz o serviço que deve(ria) fazer é expulso. Na Educação Superior, no Brasil, não.

    E, aposto todas as fichas, com conhecimento de causa, que têm muitos doutores em universidades, que eu e você conhecemos, que deveriam ser substituídos por um simples graduado. Este, o graduado, faria melhor – muito melhor – do que aquele. Não porque o (D)outor não sabe fazer. Mas, porque não quer fazer. O salário, a estabilidade e a falta de cobrança do que é feito, acomoda a maioria. Os alunos são um estorvo necessário para o salário que lhes fornece a tão reconhecida estabilidade social.

    Alguns problemas educacionais têm soluções simples. E este é um.

    A gente volta.

    Bom final de semana.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Meu caro,

    Esse teu comentário dá a base para uma boa tese doutoral que teria como possível título: "A progressiva desvalorização/desqualificação do docente do ensino superior".

    Para defenderes essa tese terás que matar a "criança" logo ao nascer (como faziam os romanos, quando a criança nascia defeituosa). Traumática, essa situação, mas nada mais que a real situação que vivenciamos.

    Um dos grandes segredos, neste caso, é a questão $alarial: muitos querem $er doutore$ apena$ para e$$a finalidade - melhorar o $alário! Produzir, que é bom, deixa para lá, não escrevem uma linha, nem mesmo num simples blog (não têm tempo para mais nada que para ganhar dinheiro) e o compromi$$o dele$ bem $abe$ qual é. Muitos deles são aqueles a quem - em outros posts - chamo de "e$peciali$ta$".

    Mas vamos lá! Quem sabe um dia eles assumem suas responsabilidades e nós possamos oferecer uma educação de qualidade aos nossos jovens!

    BFS

    ResponderExcluir

Política de moderação de comentários
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...